Associação de Desenvolvimento Local de Montemor-O-Novo
 
Identificação da Entidade

consultar PROJECTOS

 

Denominação: Marca – Associação de Desenvolvimento Local 

Constituição:  04 de Novembro de 1996 no Cartório Notarial de Arraiolos,

                      Diário da República n.º 20/97 / III Série de 24 de Janeiro de 1997

Natureza Jurídica: Associação privada sem fins lucrativos

NIPC: 503903060

Classificação das Actividades Económicas:

Actividade Principal: 91333 – Outras Actividades Associativas Não Especificadas

Outras Actividades: 26403 – Fabricação de outros produtos de barro para

a construção; 74842 – Outras actividades de serviços prestados principalmente

às empresas diversas não especificadas

Sede Social:  Largo General Humberto Delgado n.º 7, 1º

                      Apartado 188

                      7050 – 123  Montemor-o-Novo

                      Telefone / Fax : 266 89 12 22

                      E-mail: marca.adl@mail.telepac.pt

                      http://planeta.clix.pt/marca-adl

N.º de Sócios: 182

Constituição e Objectivos: Promover o desenvolvimento qualificado de Montemor-o-Novo com especial atenção para o património cultural e ambiental do concelho, criação de empresas que valorizem os recursos locais e o emprego (Art.º 3º dos Estatutos)

Actividades da Associação:

 

PROJECTOS E INICIATIVAS DE DESENVOLVIMENTO

ÁREAS DE INTERVENÇÃO

 

PATRIMÓNIO CULTURAL

O património cultural - o Telheiro da Encosta do Castelo onde a MARCA-ADL construiu as primeiras marcas e mais tarde os brinquedos populares - começou por ser o vector identificador do seu trabalho: criar dinâmicas de desenvolvimento local a partir de saberes-fazeres tradicionais, estimulando utilizações inovadoras no contemporâneo.

Telheiro da Encosta do Castelo

Na sequência de um levantamento realizado em 1990 no qual foram identificados na região antigos telheiros em diversos estados de conservação, e verificada a existência de possibilidades de transmissão dos conhecimentos e práticas tradicionais às novas gerações, foi elaborado um projecto de recuperação de um telheiro existente na Encosta do Castelo de Montemor-o-Novo. Gerido pela MARCA-ADL desde 1997, na sequência de um protocolo entre a Câmara Municipal de Montemor-o-Novo e a Associação, funciona nas seguintes áreas:

1. Produção de materiais de construção tradicionais (tijolo burro, telha de canudo e tijoleira) que podem ser utilizados na recuperação de edifícios antigos, sobretudo em zonas históricas, em montes e habitações rurais.

2. Formação Profissional, na área da produção de materiais de construção e de materiais de cerâmica decorativa. Tem como objectivo dar resposta à necessidade de preparar profissionais de telheiro que assegurem a continuidade da actividade; constituir uma equipa de trabalho para esta unidade criando oportunidades de emprego para jovens; e responder às solicitações do mercado.

3. Acções na área das artes plásticas ligando as técnicas e materiais tradicionais à produção artística contemporânea.

Neste momento trabalham a tempo inteiro no Telheiro 5 profissionais.

A MARCA-ADL candidatou ao LEADER II a construção e ampliação do edifício e aquisição de máquinas e equipamentos, processo concluído em 2000. Estruturou-se então a oficina de cerâmica decorativa onde se produz durante o Inverno cerâmica decorativa (pavimentos, revestimentos, remates de telhado) com inspiração em padrões e motivos da arquitectura tradicional da região.

 

Caixa de texto:  

 Brinquedos Populares de Montemor-o-Novo 

MARCA-ADL abraçou, como uma das suas áreas de trabalho, os “Brinquedos Populares de Montemor-o-Novo” em especial no domínio da investigação/divulgação e formação/produção.

A associação acreditou que era possível criar dinâmicas de desenvolvimento local a partir destes objectos, tornando-os elementos identificadores do património cultural da região, objectos de "marca" de um território.

O projecto que desenvolve tem origem numa colecção recolhida entre 1987 e 1989 pela Oficina da Criança e Escolas Primárias do Concelho de Montemor-o-Novo, no âmbito de uma acção pedagógica intitulada “Vamos construir um Brinquedo”. Desde então a colecção, de grande valor etnográfico e museológico, tem sido estudada por investigadores na área da antropologia.

A dinâmica e interesse suscitados pelo trabalho de recolha e investigação e o potencial económico da produção e comercialização de brinquedos populares com novas valências didácticas e artesanais, levaram a MARCA-ADL à preparação de profissionais para esta actividade através de cursos de formação profissional com vertentes teóricas e práticas  vocacionados para a produção de brinquedos em trapo, madeira, cortiça, cana e arame. Em 1999 encetou um Curso de Brinquedos Populares em Lavre ao abrigo do Programa Escolas-Oficinas do IEFP. Em Julho 2001 um Curso de Brinquedos Populares no Ciborro, financiado pelo POEFDS.

No seguimento deste trabalho integrado em torno do brinquedo popular nas áreas da Investigação e Formação Profissional, a MARCA-ADL constituiu em 2002 a Chica Amorica - Oficina de Brinquedos Populares agregando algumas mulheres do Concelho de Montemor-o-Novo,  formadas nos Cursos de Brinquedos Populares de Lavre e Ciborro.

Construídos com materiais existentes no meio natural (madeira, cortiça, cana, lã, barba de milho, bolotas) e doméstico (trapos, botões, arames, latas), com recurso a técnicas de produção essencialmente manuais, estes brinquedos mantêm uma profunda ligação às matérias disponíveis no meio (tradicionalmente aproveitadas em contextos de pobreza) e às memórias e vivências rurais do Alentejo.

Os objectos lúdicos produzidos são reproduções dos modelos do brinquedo popular: bonecas de trapo, bolas de trapos, gaiolas de grilo, espingarda de cana, animais em cortiça ou bolota, bicicletas, carroças e tractores em cortiça, bonecos articulado, jogos como o das pedrinhas e do galo. Mas nunca tendo sido o brinquedo popular um objecto estático, a Chica Amorica - Oficina de Brinquedos Populares tem procurado inovar em resposta a novas necessidades na área do lúdico, didáctico e artesanal, produzindo também brinquedos de época, personagens do conto popular, pufs, marionetas, puzzles.

 

“Passeios da Primavera – À descoberta de paisagens e lugares além tejo   

 

Os Passeios da Primavera - À descoberta de Paisagens e Lugares Além Tejo, compreendem anualmente cerca de 6 percursos pedestres temáticos no concelho de Montemor-o-Novo.

A iniciativa tem por objectivo divulgar o património cultural e ambiental e estimular a reflexão sobre as transformações recentes no espaço rural no Alentejo e novos usos na perspectiva do lazer, turismo cultural e de natureza.

Percorrem-se caminhos de terra, cursos de ribeiras, trilhos de comboios desactivados, acompanhados pelos que vivem ou estudam o território, à procura dos vestígios menos visíveis e conhecidos do nosso património cultural e natural. Confrontando saber popular e saber científico, ouvindo estórias, evocando memórias e vivências, descodificando vestígios à luz da arqueologia, etnografia, biologia, geologia, pretende-se vivificar e valorizar o gosto pela descoberta e interpretação da paisagem rural.

Têm colaborado na iniciativa, orientando as caminhadas pelo campo, o zoólogo António Mira, a botânica Paula Simões, os arqueólogos Manuel Calado e Catarina Oliveira, o historiador Rui Ferreira, a geóloga Liliana Póvoas e Alfredo Tinoco na área da arqueologia industrial, os contadores de contos António Fontinha e Jorge Serafim, o Mestre José Salgueiro na área das plantas medicinais e aromáticas e Pedro Graça na área da orientação. Pastores, artesãos, ferreiros, abegãos, antigos mineiros têm também partilhado as suas memórias e saberes com os participantes.

As 4 edições já realizadas registaram uma participação e interesse crescente de pessoas com diversas idades e origens geográficas. Os Passeios da Primavera têm contado com o apoio do Instrituto do Ambiente, DRAOT, Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, Governo Civil de Évora e com a colaboração dos proprietários dos locais onde se realizam as caminhadas.

“Visitação aos Campos”   

Reflectir sobre os velhos e novos usos da terra foi o objectivo da “Visitação aos Campos” que a MARCA - ADL organizou no concelho de Montemor-o-Novo, no dia 6 de Junho de 1998 em colaboração com o Museu Nacional de Etnologia, iniciativa integrada na Exposição “O vôo do Arado”.

O passeio pelos campos intitulado “Velhos e Novos Caminhos em Montemor-o-Novo” contou com a presença de cerca de 50 participantes que percorreram a Serra de Monfurado, as margens do Rio Almansor, Castelo de Montemor-o-Novo, Monte do Estanque e Convento de São Francisco.

Levantamento do Menir do Tojal   

Caixa de texto:  

No dia 22 de Junho de 2000 – solstício de Verão, a MARCA - ADL colaborou com o Arqueólogo Manuel Calado numa acção lúdica de valorização do património arqueológico: o levantamento do menir do Tojal (situado na Herdade do Tojal - Estrada do Escoural - S. Cristovão). Cerca de 60 pessoas com cordas e alavancas de madeira, levantaram o menir que retomou à sua posição original no Neolítico.

 

Projecto “Formas de Viver, Formas de Pensar, Formas de Habitar – Ciência, Técnicas e Saberes”

A MARCA-ADL encontra-se a desenvolver em colaboração com a associada Prof.ª Ana Luísa Janeira da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa um projecto de intercâmbio entre alunos portugueses e brasileiros, sobre “Formas de Viver, Formas de Pensar, Formas de Habitar – ciências, técnicas e saberes” no concelho de Montemor-o-Novo e no Rio Grande do Sul, com a duração de quatro anos, sendo matérias de estudo o tijolo, a cal, o azulejo, a pedra, o ferro e a madeira.

Este projecto de ensino-investigação, marcadamente interdisciplinar, pretende estudar como é que se foram articulando os saberes e as ciências com as vivências existenciais e as matérias-primas associadas à arquitectura de terra, à olaria e às respectivas tecnologias, dos romanos até nós, passando pela marca árabe em terras alentejanas, e a influência de portugueses, italianos e alemães na construção em terras gaúchas.

Com base nos trabalhos de campo, que permitiram contactos efectivos com a realidade local, alunos da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa procuraram aproximar-se das envolvências do: tijolo – Telheiro da Encosta do Castelo;  cal - fornos de cal; azulejo - igrejas, conventos; pedra - megalitismo, construções urbanas;  ferro - solos, minas, forjas, ferreiros e ferradores.

Partindo à descoberta de mestres e de meios de transmissão, associados a saberes e a técnicas o estudo incluiu ainda a delimitação de diferenças entre estes contextos e a forma-de-saber-e-de-fazer no conhecimento científico actual. Os resultados estão publicados em www.saberes.no.sapo.pt.

 
Projecto “À descoberta das Profissões Tradicionais de Montemor-o-Novo”

Entre Abril a Novembro de 2001 a MARCA-ADL desenvolveu o projecto “À descoberta das profissões tradicionais de Montemor-o-Novo” com a participação de uma jovem integrada no programa OTL – Longa Duração do IPJ - Instituto Português da Juventude. Este projecto integrou o levantamento, estudo e classificação das antigas profissões ainda em actividade no centro histórico de Montemor-o-Novo, com o objectivo de valorizar os seus papéis produtivos, funcional e simbólico e dar a conhecer a sua história .

 

AMBIENTE

Caixa de texto:  

O estatuto da MARCA-ADL como instituição equiparada a ONGA - Organização Não Governamental de Ambiente em 2000, foi o reconhecimento do trabalho desenvolvido na área ambiental e potenciou novos projectos: educação ambiental com as escolas; sensibilização,  promoção de encontros, debates, sessões de esclarecimento; divulgação dos recursos ambientais e valorização da paisagem com edições e percursos pedestres, entre outros.

 

Encontro sobre o Ambiente – “Rede Natura 2000. Que Gestão? Que Consequências?”

A 11 de Novembro de 2000 a MARCA - ADL organizou um Encontro/Debate Público para análise da Gestão dos Sítios da Rede Natura-2000 no Concelho de Montemor-o-Novo (Sítios de Monfurado e Cabrela). A iniciativa contou com a participação do ICN, LPN, CEA, CMMN, AFLOP’s e ATD e cerca de 200 participantes.

 

Parceria Pró-Montado (em preparação com a ATD – Alcáçovas)   

 

A MARCA-ADL integrou em Abril de 2001 a parceria Pró-Montado. Esta abrangente parceria coordenada pela Associação Terras Dentro, visa a valorização do montado, elemento fundamental da paisagem, cultura e economia da região alentejana.

No âmbito da parceria a MARCA-ADL pretende aprofundar as áreas agro-florestal, ambiental e cultural numa perspectiva integrada e privilegiando os domínios da investigação, valorização e utilização deste ecossistema ao nível do ecoturismo e da educação ambiental.

A associação procura através desta parceria potenciar formas de intervenção e gestão sustentável dos ecossistemas e sintetizar informação sobre as áreas de montado, que possam vir a ser úteis não só para os agentes do território que actuam neste tipo de espaços naturais como ainda para apoiar futuros projectos que a MARCA-ADL possa vir a desenvolver.

Pretende-se, a partir do conhecimento dos valores naturais, florestais e agrícolas elaborar Planos de Acção com vista à gestão e valorização dos recursos, concretamente na definição e promoção de produtos locais associados ao montado e ao turismo de natureza.

 

Projecto de Educação Ambiental - O Lince Ibérico na nossa região

No ano lectivo 2000/2001 a MARCA-ADL desenvolveu um projecto de educação ambiental, nos jardins de infância, escolas do 1º ciclo do ensino básico e escolas básicas mediatizadas inseridas nas áreas Rede Natura 2000 - Cabrela e Monfurado, com o objectivo de dar a conhecer o felidío mais ameaçado do mundo – O Lince Ibérico, espécie emblemática do Sítio de Cabrela.

Implementaram-se nas escolas diversas acções sobre a temática: aplicação de questionários, leitura e dramatização de contos sobre o lince, desfile de Carnaval, visitas de campo e exposição itenerante.

O projecto contou com o apoio do IPAMB, ICN, Juntas de Freguesias das Silveiras, S. Cristovão, Casa do Povo de Cabrela e Centro Recreativo do Escoural.

Caixa de texto:  

 

Projecto de Educação Ambiental “Morcegos – Os Nossos Amigos Voadores”

No ano lectivo 2001/2002 a MARCA-ADL desenvolveu o projecto de educação ambiental com as escolas básicas abrangidas pelos sítios Rede Natura 2000 (num total de 201 crianças), sobre os morcegos – espécie protegida do sítio de Monfurado. O projecto compreendeu actividades de: aplicação de questionários, projecção de diaporamas sobre os morcegos, jogo temático, distribuição de manuais, construção e colocação de caixas abrigos. Contou com o apoio do POEFDS, IA e ICN.

 

Prevenção dos Fogos Florestais

No seguimento de um protocolo estabelecido entre a CNEFF e o IPAMB, a MARCA-ADL organizou  em Setembro e Outubro de 2000 um conjunto de acções junto dos proprietários florestais dos sítios REDE NATURA 2000 - Cabrela e Monfurado, subordinado ao tema “Fogos Florestais: prevenção, detecção e combate primário”. Estas acções contaram com a presença da DGF - Direcção Geral das Florestas, AFLOPS - Associação de Produtores Florestais do Distrito de Setúbal e DRAAL - Direcção Regional de Agricultura do Alentejo, Divisão da Florestas, que acederam ao convite da Associação.

O balanço resulta positivo, julgando-se dado o primeiro passo num caminho que conduzirá a uma correcta gestão destes sítios.

 

Sessão de Sensibilização “Lixos Domésticos – Boas Prácticas”

No âmbito do projecto de desenvolvimento sócio-comunitário “Monte Maior” a MARCA-ADL realizou no dia 22 de Abril de 2002 na freguesia do Ciborro, uma sessão de sensibilização sobre “Lixos Domésticos – Boas Práticas” integrada na acção “Participação Cívica e Cidadania” destinada a toda a população da freguesia, tendo participado 56 pessoas. Esta sessão foi dinamizada pelas técnicas da área ambiental da MARCA-ADL, que recorreram à projecção de slides, constantes da maleta pedagógica “Resíduos” cedida pelo Instituto do Ambiente, à demonstração de embalagens recicláveis, de um mini eco-ponto e à distribuição de uma folha informativa “3 R´s – Sugestões para reduzir, reutilizar e reciclar”.

 

Sessões de Educação Ambiental

Caixa de texto:  

A MARCA-ADL tem vindo a organizar todos os anos no Dia do Ambiente (5 de Junho), sessões de educação ambiental e saídas de campo com alunos de várias escolas. Em 2002 foram efectuadas sessões de sensibilização nos Dias da Árvore (21 de Março), Dia da Água (22 de Março) e o Dia Internacional da Terra (22 de Abril) com a participação de escolas do concelho.

 

“Estação de paisagens Mediterrânicas” (em preparação)

Iniciativa conjunta da MARCA-ADL com a Associação Portuguesa de Ecologia da Paisagem, outras instituições e particulares, com vista à criação de uma Estação de Paisagens Mediterrânicas. Esta Estação tem como objectivos incentivar a integração das várias disciplinas que se debruçam sobre as paisagens rurais e as actividades que nelas se inserem.

 

CIÊNCIA, INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

A organização de encontros científicos  e as três edições da Universidade de Verão sobre "Identidades Locais e Globalização", orientaram-se especialmente para a análise e reflexão sobre a questão das identidades e culturas locais, o estudo dos efeitos da globalização no local e das práticas do desenvolvimento, numa perspectiva interdisciplinar.

Universidade de Verão de Montemor-o-Novo 

- Edições em 1999, 2000 e 2001

A "Universidade de Verão" sobre Identidades Locais e Globalização, que conta já com 3 edições, tem por objectivo central criar em Montemor-o-Novo um lugar europeu para a reflexão sobre a questão das identidades locais e o estudo dos efeitos da globalização no local. A Universidade de Verão organizada em parceria com a Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, conta com a participação de sete universidades e centros de investigação de Portugal, Espanha e Itália, formando uma rede que viabiliza a análise transdisciplinar e reflexão sobre práticas do desenvolvimento, um olhar da periferia para o centro.

- 1º Curso “Identidades Locais e Glo(c)alização” - de 18 a 25 de Julho de 1999;

- 2º Curso “Culturas Locais e Cidadania : Continuidades e Transformações”  - 10 a 16 de Setembro de 2000;

- 3º Curso “Cidade, Território e Desenvolvimento Local - de 10 a 14 de Setembro de 2001

Mestrado em Culturas Regionais Portuguesas 

- Universidade Nova de Lisboa

Centrando-se no aprofundamento do conhecimento das técnicas sociológicas e antropológicas a partir de uma visão dinâmica da realidade social do nosso País e das suas culturas específicas, o Mestrado em “Culturas Regionais Portuguesas” da Universidade de Lisboa – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas - Departamento de Estudos Portugueses decorreu em Montemor-o-Novo desde Outubro de 1998 com a duração de 2 anos lectivos. A MARCA-ADL foi a entidade local organizadora, com o apoio da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo.

 

Observatório do Desenvolvimento Local

A MARCA-ADL criou o Observatório do Desenvolvimento Local para o concelho de Montemor-o-Novo. Trata-se de uma unidade de análise interinstitucional das dinâmicas de desenvolvimento local, inovadora, a qual permitirá a estruturação de uma reflexão conjunta e a construção de projectos/acções em parceria, bem como a partilha de informação obtida através da criação de bases de dados.

 

“1º Colóquio Luso – Brasileiro de Cultura, Ciência e Sociedade 

A Comunicação Pública da Ciência”

Iniciativa do CICTSUL - Centro Interdisciplinar de Ciência, Tecnologia e Sociedade, em colaboração com a MARCA-ADL, realizou-se nos dias 28, 29 e 30 de Setembro de 2000 em Montemor-o-Novo, reunindo como conferencistas individualidades destacadas do meio científico e jornalístico luso-brasileiro. Participaram no evento a Universidade de Lisboa, Museu da Ciência, Museu de História Natural, Sindicato dos Jornalistas, Instituto de Geociências da Universidade de Campinas, Departamento de Ciência da Fundação Calouste Gulbenkian entre outros. A MARCA - ADL assegurou a organização local do Colóquio.

 

FORMAÇÃO / QUALIFICAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS

A formação profissional - para a qual a MARCA-ADL está credenciada pelo INOFOR -  tem-se dirigido a grupos desfavorecidos, com vista ao aumento de competências, promoção de emprego, estimulo à iniciativa e perpetuação de saberes e práticas tradicionais. A qualificação de quadros técnicos através de outro tipo de acções tem procurado melhorar o desempenho dos agentes de desenvolvimento no terreno.

 

Curso de Cerâmica para Profissionais de Telheiro

Apoiado pelo Programa Escolas-Oficinas do IEFP, a MARCA-ADL organizou entre 1998 e 1999 um Curso de Cerâmica para Profissionais de Telheiro com a colaboração do Centro de Emprego de Montemor-o-Novo, no qual participaram 10 formandos.

Esta acção com o objectivo de revalorizar a construção tradicional, envolveu a produção de materiais cerâmicos de construção tradicional. No final do curso foram integrados alguns jovens na actividade do Telheiro da Encosta do Castelo.

 

Curso de Auxiliares de Telheiro 

A MARCA-ADL considerando que o desenvolvimento social e o combate contra a exclusão social são parte integrante do desenvolvimento do País, apresentou uma candidatura do “Curso de Auxiliares de Telheiro” no âmbito do Programa INTEGRAR ao Ministério da Solidariedade e Segurança Social aprovada e executada entre Agosto de 1999 e Junho de 2000. Este curso teve como objectivo potenciar a inserção de jovens em “risco” do concelho de Montemor-o-Novo na actividade de produção de materiais cerâmicos para construção, com resultados muito positivos tanto no plano da formação como da integração. Ficaram a trabalhar no Telheiro da Encosta do Castelo quatro dos sete jovens.

 

Curso de Auxiliares de Cerâmica de Telheiro 

No âmbito do Programa Operacional Emprego, Formação e Desenvolvimento Social, Acção 5.3.1.1. Formação Social e Profissional de Grupos Desfavorecidos, decorreu, entre Julho de 2001 e Julho de 2002, um curso de formação profissional, no âmbito da produção de materiais tradicionais para  construção e de materiais cerâmicos decorativos.

A acção foi frequentada por 10 jovens à procura do 1º emprego e desempregados com menos de 30 anos, residentes no concelho de Montemor-o-Novo. A formação tem como objectivo a inserção sócio económica de jovens, e também a revitalização de uma actividade económica tradicional, como é a produção de cerâmica de Telheiro.

 

Curso de Brinquedos Tradicionais de Montemor-o-Novo 

A MARCA – ADL organizou em Lavre entre Março de 2000 e Março de 2001 ao abrigo do Programa Escolas-Oficinas do IEFP o “Curso de Brinquedos Tradicionais de Montemor-o-Novo”.

Caixa de texto:  

Este curso dá continuidade a uma investigação sobre os Brinquedos Tradicionais de Montemor-o-Novo, que teve início na década de 80 com uma recolha de brinquedos populares do concelho. Face ao interesse etnográfico e potencial económico sugerido pelo trabalho de recolha e investigação, a MARCA - ADL, pretendeu com o curso contribuir para a formação de profissionais na área da produção de brinquedos e para a criação de uma unidade de produção e comercialização destes objectos lúdicos.

 

Curso de Brinquedos Populares de Montemor-o-Novo 

A MARCA-ADL organizou entre Julho de 2001e Julho de 2002, o “Curso de Brinquedos Populares de Montemor-o-Novo” na Freguesia do Ciborro, frequentado por 10 mulheres desempregadas do Ciborro.

Esta acção de formação promovida pela MARCA - ADL, desenvolvida no âmbito do POEFDS teve como objectivo a abordagem das técnicas de produção de brinquedos populares em madeira, cortiça, cana, arame e trapo. Na sequência do curso organizado em Lavre, a MARCA-ADL pretendeu formar profissionais vocacionados para a produção de brinquedos populares, estimulando a iniciativa empresarial.

 

Curso de Gestão de Pequenos Negócio

No âmbito do funcionamento da Rede de Animadores Locais, Projecto MATIZ, a MARCA-ADL conjuntamente com o Agrupamento MONTE organizaram entre Outubro e Novembro de 2001 o curso de formação profissional “Gestão de Pequenos Negócios”. A referida acção decorreu no Convento de S. Domingos, com um grupo de dez formandos desempregados tendo como objectivo reforçar os conhecimentos de gestão de projectos e de negócios para quem pretende iniciar uma actividade empresarial.

 

Curso de Cozinha Tradicional Alentejana 

Está em apreciação pelo POEFDS um Curso de Cozinha Tradicional Alentejana a promover pela MARCA-ADL.

Esta acção de formação/emprego tem como objectivo a revalorização e preservação da gastronomia local numa óptica de desenvolvimento cultural e regional.

Pretende-se que os formandos adquiram competências sociais e qualificações profissionais que os habilitem a produzir, utilizando as técnicas e ingredientes tradicionais, um receituário tradicional, previamente seleccionado.

Com este reforço e reconhecimento de competências, prevê-se que estes formandos venham a criar as suas próprias unidades de restauração ou venham a ser inseridos nas muitas unidades de hotelaria e restauração que existem na região.

 

Curso de Formação “Plantas aromáticas, medicinais e condimentares”

Encontra-se em preparação a candidatura do “Curso de Formação Profissional de Plantas Aromáticas, Medicinais e Condimentares”.

Trata-se de uma acção de formação de média duração, destinada a públicos fragilizados dos espaços rurais com vista à produção e comercialização de plantas.

Pretende-se com esta acção de formação/emprego fornecer um conjunto de instrumentos a pequenos proprietários, trabalhadores rurais e mão-de-obra familiar, que lhes permitam vir a diversificar os seus rendimentos, através do exercício de uma actividade inovadora e complementar, face às suas actividades tradicionais – numa óptica de desenvolvimento cultural e regional integrados.

 

DESENVOLVIMENTO SÓCIO-ECONÓMICO

O trabalho nesta área, consolidado com o Projecto Monte Maior, tem-se estruturado em acções de participação comunitária, melhoria de competências pessoais e sociais, formação e qualificação de agentes de desenvolvimento.

 

Projecto Monte Maior 

O projecto de desenvolvimento sócio-comunitário Monte Maior, financiado pelo Programa Operacional Emprego, Formação e Desenvolvimento Social (POEFDS), abrange todo o concelho de Montemor-o-Novo e decorre entre Novembro de 2001 e Dezembro de 2002.

Encontra-se estruturado em três eixos: Promoção da acção e participação comunitária; Promoção de competências e Formação de agentes.

As acções que integram o Monte Maior visam estimular a participação e envolvimento da comunidade no desenvolvimento local; sensibilizar crianças e jovens para a valorização do património cultural e ambiental; permitir a troca de experiências intergeracionais; prevenir situações de risco e isolamento; dinamizar a iniciativa nos espaços rurais; promover a melhoria de competências individuais e colectivas; e estimular o diálogo entre os agentes envolvidos no processo de desenvolvimento.

 

Encontro de Projectos Locais 

Organizado pela MARCA-ADL, o 1º Encontro de Projectos Locais realizou-se no dia 23 de Maio de 1998 no Convento de S. João de Deus, tendo como objectivo central a criação de um espaço para reflexão e apresentação de perspectivas de desenvolvimento local, aberto à participação dos cidadãos. A MARCA-ADL considera a comunicação e a informação elementos essenciais do processo de desenvolvimento local.

No dia 20 de Novembro de 1999, com novos intervenientes e orientado para a análise das perspectivas de desenvolvimento de Montemor-o-Novo, a MARCA-ADL organizou o 2º Encontro de Projectos Locais, durante o qual foram apresentadas perspectivas de desenvolvimento e de investimento em Montemor-o-Novo, bem como a análise e reflexão das experiências que resultaram de projectos implementados a partir do 1º Encontro de Projectos Locais.

Está em preparação o 3º Encontro de Projectos Locais – Inovação em Espaço Rural, a realizar em Novembro de 2002.

 

Acções de Sensibilização

Integradas na Acção 7 “Rede de Animadores Locais” do Plano Local de Intervenção “Matiz”, a MARCA - ADL promoveu com o apoio da DECO, diversas sessões de esclarecimento sobre o EURO tendo como público-alvo Idosos e Comerciantes do concelho de Montemor-o-Novo.

No mesmo âmbito e alargada às temáticas Cidadania e Segurança foram desenvolvidas com a Escola EB 2,3 S. João de Deus e com Beneficiários do Rendimento Mínimo Garantido do concelho, várias acções de sensibilização durante os meses de Junho e Setembro de 2001.

Durante os meses de Janeiro e Fevereiro de 2002, no âmbito do projecto de desenvolvimento sócio-comunitário Monte Maior foram desenvolvidas acções de sensibilização com as escolas do concelho e diversas associações de reformados, abordando a temática do Euro.

 

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

Desde 1997, com a instalação do primeiro Estaleiro Terràvista no continente, que a MARCA-ADL tem utilizado e promovido as novas tecnologias ao serviço da informação sobre o território e projectos de desenvolvimento local.

 

Estaleiro Terrávista 

Foi inaugurado em Setembro de 1997, com a assinatura de um protocolo com o Ministério da Cultura, o Estaleiro Terràvista da MARCA – ADL (o primeiro no continente português), espaço multimédia equipado com 5 computadores, scanner e impressora. Este espaço esteve na origem do estaleiro informático da associação, aberto ao público, que desde então desenvolveu a sua actividade na área da formação em Internet e construção de Homepages, animação e divulgação de informações sobre a região de Montemor-o-Novo.
 

Espaço Millenium 

A MARCA-ADL, estabeleceu uma parceria com o FDTI – Fundação para a Divulgação das Tecnologias de Informação, no âmbito do programa Geração Millennium 2.0.  A partir de Julho de 2002, jovens dos 10 aos 18 anos e público em geral poderão aceder à Internet e utilizar os meios informáticos disponíveis na sede da MARCA-ADL, podendo ainda obter formação em tecnologias de Informação (Word, Excel, Internet, Outlook, PowerPoint). O espaço está equipado com 8 computadores.

 

Produção de Homepages

No âmbito do funcionamento do Estaleiro Informático, a MARCA - ADL tem vindo a desenvolver actividades relacionadas com a divulgação da Associação na Internet e prestação de serviços à comunidade, nomeadamente a criação de Homepages para entidades diversas da região (Jornal “Folha de Montemor”, Restaurante “Monte Alentejano”, Restaurante “O Maçã” entre outras).

Para o efeito, a MARCA - ADL tem recebido estagiários provenientes da EPRAL - Escola Profissional da Região Alentejo.

 

Produção de CD-Rom’s

A MARCA-ADL elaborou CD-Rom’s de divulgação da associação bem como das suas actividades.

Em 2001 elaborou ainda o CD “Natureza e Cultura à volta da nossa Escola” sobre flora local, no âmbito do projecto “Comenius”, coordenado pela EB 2,3 de S. João de Deus em parceria com Escolas da Noruega e Áustria.

 

APOIO À CRIATIVIDADE E ÀS ARTES

O trabalho já realizado deverá ser consolidado enquanto potenciador da criatividade e da actividade artística. Pretende-se realizar projectos na área das artes teatrais, quer privilegiando a formação de públicos (pela sensibilização e pela experiência), quer a formação - vocacional e/ou artística, complementar e/ou especializada, atendendo ao potencial humano resultante da existência na região de cursos de formação superior nesta área. Implementar-se-ão igualmente projectos de valorização da arte popular, procurando contribuir para a construção de produtos criativos e para o reforço do tecido económico desta área.

 

2ª Assembleia de Programadores Culturais

A MARCA-ADL organizou em Montemor-o-Novo a 2ª Assembleia de Programadores nos dias de 7, 8 e 9 de Outubro de 1999. Participaram na reunião  76 programadores das artes do espectáculo provenientes de 26 cidades portuguesas, que deram o seu contributo para o desenvolvimento cultural e artístico do País, nomeadamente na proposta de criação de uma rede nacional englobando os principais centros de difusão, aprovada em Guimarães em Maio de 2000.

 

Ateliers para jovens nas freguesias (Teatro, Cinema de Animação, música, arte pública)

Durante os meses de Julho e Agosto de 2002 a MARCA-ADL promoveu, no âmbito do projecto de desenvolvimento sócio-comunitário Monte Maior, várias actividades lúdicas e educativas, para jovens dos 12 aos 18 anos, em todo o Concelho de Montemor-o-Novo.

Foram desenvolvidos ateliers de Teatro – texto e Teatro – corpo, Cinema de animação, Reciclagem, Música, Artes Plásticas, nas diversas freguesias.

Estes ateliers marcaram de uma forma divertida e criativa, os tempos livres dos jovens do nosso concelho.

 

COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

Processo de reconhecimento como ONGD (em curso)

Está em curso o processo de reconhecimento do estatuto da MARCA-ADL como ONGD – Organização não Governamental para o Desenvolvimento com vista à construção de projectos de cooperação para países do sul. A associação pretende cooperar em áreas onde tem adquirido experiência acrescida: materiais e técnicas de construção tradicional, projectos de desenvolvimento em torno de práticas artesanais e formação à distância na área das novas tecnologias de informação.

 

Visita a Montemor-o-Novo de Administrador de Lautem – Timor leste a convite da INDE

A MARCA-ADL recebeu no dia 7 de Agosto de 2002, a visita do Administrador do Distrito de Lautem em Timor Leste, Sr. Olávio da Costa, a Convite da INDE - Intercooperação e Desenvolvimento.

Caixa de texto:  

A reunião com a associação realizou-se no contexto de uma visita de trabalho a Portugal com o objectivo de estabelecer contactos com entidades portuguesas que desenvolvam trabalho relevante na área do desenvolvimento local, numa lógica de reforço de parcerias e cooperação e de partilha de saberes e experiências

Em Montemor-o-Novo, a visita contemplou a apresentação dos principais projectos desenvolvidos pela associação (brinquedos populares, desenvolvimento sócio comunitário, formação à distância, ambiente, entre outros), assim como uma visita ao Telheiro da Encosta do Castelo, onde se reflectiu sobre a possibilidade de aplicar esta tecnologia tradicional ligada à construção em Timor, e à Herdade do Freixo do Meio, exemplo de um correcto aproveitamento dos recursos locais na área agrícola.

 

JUVENTUDE

Para além de projectos e ateliers de animação e ocupação de tempos livres que desenvolve com jovens na área ambiental, sócio-comunitária ou com o apoio do programa OTL, a MARCA-ADL tem investido na formação e qualificação de jovens técnicos através do enquadramento de estágios profissionais na Associação com o apoio do Programa AGIR do IPJ, Estágios Profissionais do IEFP e através de colaboração com a EPRAL.

Alguns dos jovens estagiários têm integrado os quadros técnicos da Associação.

 

Programa AGIR

Ao abrigo do Programa AGIR promovido pelo Instituto Português da Juventude, a MARCA-ADL acolheu 6 jovens estagiários nas áreas “Qualificação e Inserção Profissional de Jovens Quadros Superiores” e “Gestão Associativa”.

 

Estágios Profissionais

Ao abrigo do Programa Estágios Profissionais do IEFP a MARCA-ADL acolheu 6 jovens, assegurando-lhes estágio em contexto real de trabalho nas áreas do desenvolvimento local e da produção de materiais de cerâmica para construção no Telheiro da Encosta do Castelo.

 

Orientação de estágios da EPRA 

A MARCA-ADL tem vindo a acolher estagiários dos cursos “Técnico de Multimédia”, “Técnico de Gestão do Ambiente” e “Técnico de Turismo Ambiental e Rural” da EPRAL – Escola Profissional da Região Alentejo, tendo já enquadrado cerca de 11 jovens.

A colaboração com a EPRAL visa a integração dos jovens num contexto real de trabalho possibilitando a aplicação dos conhecimentos adquiridos durante a formação a projectos concretos.
  

PARTICIPAÇÃO EM REDES E COMISSÕES

Rede Regional para o Emprego do Litoral Alentejano 

A Rede Regional para o Emprego é uma iniciativa governamental que visa criar dinâmicas empresariais e postos de trabalho no Alentejo.

A convite dos organizadores a MARCA – ADL integrou a rede em 1998 e participou nas reuniões preparatórias da sua constituição.

 

Rede de Animadores Locais 

A MARCA-ADL celebrou um Protocolo de Colaboração com o Agrupamento Monte, com o objectivo de implementar a Acção 7 “Rede de Animadores Locais” do Plano Local de Intervenção “Matiz”, no âmbito do Programa Iniciativa Piloto de Promoção Local do Emprego no Alentejo, do Instituto de Emprego e Formação Profissional, cujo prazo de execução decorreu de 1 de Janeiro de 2000 a 31 de Dezembro de 2001.

Para dinamização das actividades previstas na referida acção, a MARCA-ADL procedeu à contratação de três técnicos, animadores locais, que intervieram nas freguesias de N. Srª da Vila, N. Srª do Bispo, Cabrela, Silveiras, Foros de Vale de Figueira, Lavre, Ciborro e Cortiçadas de Lavre.

 

Comissão Local de Acompanhamento

A MARCA - ADL participa desde o seu início, na CLA - Comissão Local de Acompanhamento do Rendimento Mínimo Garantido (RMG) como parceiro activo.

Neste âmbito a MARCA - ADL colabora na luta contra a pobreza e a exclusão social no concelho, apresentando propostas, projectos de parceria e apoiando a sinalização, acompanhamento e inserção de indivíduos e agregados familiares em situação de risco.

 

Projecto Luta contra a Pobreza

A MARCA-ADL, enquanto associação atenta aos problemas que afectam o Concelho, nomeadamente a pobreza e a exclusão social é parceira no Projecto de Luta contra a Pobreza – “Espiga”, sendo a Cercimor é a entidade promotora.

Caixa de texto:  

 
 

REAPN - Rede Europeia Anti – Pobreza/ Portugal

A MARCA – ADL integra a Rede Europeia Anti-Pobreza – REAPN, um circuito de participação e circulação de informação sobre temas variados, entre eles a pobreza e a exclusão social, tem desenvolvido a sua actuação junto dos agentes que intervêm na acção social, procurando consolidar uma rede de organizações e pessoas que cumpram com empenho e eficácia os objectivos que justificaram a sua criação.